Pandemia força empresas a profissionalizar negociação com bancos

negociacao-com-bancos

Já é visível que os bancos estão mais intransigentes na negociação das dívidas de empresas.

Apesar de a Febraban ter sinalizado uma certa sensibilidade com a manutenção dos empregos e da renda os brasileiros, por conta da pandemia do coronavírus, na prática, os bancos estão mais restritivos com a concessão de crédito e com as renegociações de dívidas.

O estudo da Standard & Poor´s

Um estudo, feito pela agência de classificação e risco Standard & Poor´s, nos ajuda a enxergar o motivo.

Ele mostra que os bancos do Brasil e da Colômbia, após a paralisação dos negócios decorrentes da pandemia, estão entre as companhias mais arriscadas, dentre os bancos da América Latina.

O critério de avaliação foi a exposição dos bancos às operações potencialmente mais impactadas pela crise, como dívida de cartão de crédito, empréstimo pessoal, linhas para aquisição de automóveis, empréstimos para os setores de imóveis comerciais, restaurante, turismo e transporte.

As operações menos impactadas, segundo o estudo, são empréstimos consignados e setores de comunicação, alimentação, exportação e agronegócio.

Dessa forma, a tendência é que as empresas que buscam diminuir o valor dos financiamentos, obter melhores condições de pagamento ou conseguir algum prazo para pagamento, terão que partir para a via judicial ou contratar soluções profissionais de negociação de dívidas bancárias.

Em resumo: se a concessão de novos créditos e a renegociação dos já existentes fica mais difícil, isso exige um comportamento mais estratégico das empresas.

Basicamente, se antecipar às ações do banco, sabendo quando negociar, como negociar, e quando apelar para soluções mais drásticas, como a saída pela via judicial.

Esse é um movimento que já estamos sentindo na pele, aqui no escritório!

Fonte: Valor Investe

Sobre Márcio dos Santos Vieira

Professor e advogado, ajudo empresas a resolverem suas dívidas com os Bancos. A formação do profissional está voltada para auxiliar as partes na resolução de suas questões, construindo soluções adequadas a sua realidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *